Menu

Colégio Positivo

Notícias

Ver todos 24 de maio

Ex-aluno é campeão no voleibol americano

O curitibano Victor Bervian Neves, ex-aluno do Colégio Positivo que começou a trajetória esportiva ainda no Ensino Fundamental, agora é campeão nos EUA. No último mês, ele conquistou o primeiro lugar no Men's Volleyball National Invitational, um dos principais campeonatos de vôlei dos Estados Unidos, que engloba equipes universitárias de todo o país. Sua carreira no esporte começou aos 12 anos, quando o Colégio Positivo criou um projeto, idealizado pelo professor Renato Ribas Vaz, hoje diretor-geral do Curso Positivo, que incentivava a participação de alunos nos esportes. “O projeto era apadrinhado por Mauricio Lima, levantador da seleção brasileira e campeão olímpico. Fui selecionado e recebi uma bolsa de estudos da oitava série até o terceiro ano do ensino médio”, explica Victor. Para conferir toda a trajetória de Victor, clique no leia mais.

Depois de sair do Colégio Positivo, em 2010, o curitibano se mudou para Jaraguá do Sul (SC) e venceu duas categorias do Campeonato Catarinense. Os três anos seguintes, segundo ele, “foram de grandes mudanças”. O estudante entrou para o Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia e foi campeão catarinense sub 21 duas vezes, além de conquistar o pódio também nos campeonatos adultos. Durante o tempo no vôlei de praia, o estudante fez parte de um projeto coordenado por Gilmar Nascimento Teixeira, o Kid, campeão mundial pela Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, que o ajudou a unir as carreiras esportiva e acadêmica. 

Em 2014, o estudante entrou para a Park University, em Kansas City, no Missouri - a universidade que é conhecida pelo forte projeto no voleibol - e em 2017 já conquistou o 5º título nacional em 14 anos. Para Victor, o caminho trilhado no Colégio e Curso Positivo foram de extrema importância para suas conquistas. “O Positivo me ajudou nas duas áreas: acadêmica, na qual me deu uma base de ensino acima dos padrões, assegurando meu desempenho nos testes de proficiência em língua estrangeira e de conhecimentos gerais; e esportiva, pois tive treinadores excelentes que me colocaram em contato com técnicos dentro e fora do estado”, lembra.